Antes de se aventurar pelo universo cripto, você precisa entender como as coisas funcionam. E para ajudá-los a conhecer mais um pouco sobre esse magnífico universo, falaremos sobre as Altcoins.

Você sabe o que são Altcoins?

Antes de responder essa pergunta, você precisa saber que o Bitcoin deu início a um novo ciclo na economia global, trazendo para a área tecnológica, um projeto revolucionário que, atualmente, é utilizado em várias áreas, além da financeira, como a área educacional, por exemplo, esse projeto é a tecnologia Blockchain.

Agora, vamos falar sobre outras criptomoedas, as Altcoins. As Altcoins são, como o próprio nome indica, são ativos alternativos, ou seja, qualquer outra criptomoeda que não seja o Bitcoins é uma Altcoin, inclusive as stablecoins.

A primeira Altcoin nasceu em 2011, e recebeu o nome de Namecoin (NMC). Sua origem se deu através de uma bifurcação do código-fonte do Bitcoin, mas hoje a NMC, mesmo estando listada em algumas exchanges, é considerada uma moeda morta. A Namecoin abriu as portas para que outros projetos fossem apresentados e lançados, dando início a expansão desse universo. Hoje, por exemplo, já foram lançadas mais de 5 mil Altcoins.

Vale ressaltar que a maior parte dessas Altcoins, lançadas até hoje, foram construídas em cima da estrutura básica fornecida pelo Bitcoin.

O ano de 2020, por conta da pandemia do Covid19, foi um ano atípico e a economia mundial sofreu muito e, ainda, se encontra fragilizada. Essa crise foi sentida muito no início da pandemia, até mesmo pelas criptomoedas, e foi possível ver isso quando muitas delas tiveram uma grande queda, e nem mesmo o Bitcoin, a maior e mais valiosa cripto, ficou de fora dessa onda.

Mesmo com os efeitos da pandemia, as criptomoedas voltaram a crescer. A partir do momento que as instituições começaram a comprar grandes quantidades de Bitcoin, ele teve uma reação e o mercado de criptoativos voltou a respirar, valorizando-os ainda mais e batendo recordes históricos, com o BTC chegando aos 40.000 dólares e aos 220.000 reais. Mas não foi só a criptomoeda mais famosa que cresceu, as Altcoins pegaram carona nessa onda e tiveram aumentos expressivos.

Ethereum (ETH)

A segunda maior criptomoeda, em termo de *Capitalização de Mercado, completou, em 30 de Julho, 5 anos.

Apesar de ter uma queda de quase 50%, em março de 2020, a ETH seguiu os passos do Bitcoin e teve uma valorização expressiva. Em Janeiro de 2020 a ETH valia R$639.00,00 (US$120,26) e terminou o ano valendo R$3.891,00 (US$732,27). Em 29 de dezembro, a ETH teve sua máxima registrada em R$3.939,00 (US$741,31). Em 2021, a ETH continuou crescendo, e hoje está sendo negociada na blocktane à R$7.271,10.

Em 2020 a Ethereum passou por uma atualização para solucionar algumas limitações e problemas que a rede tinha, essa atualização ficou conhecida como Ethereum 2.0. Mesmo sendo atualizada a rede manteve todas as características de uma rede descentralizada.

Vale a pena investir em Altcoins?

Como qualquer outro investimento, antes de se arriscar estude sobre as Altcoins que te interessem e tenha certeza de que entendeu como funciona cada uma delas.

Para saber se uma ou outra Altcoin é boa ou ruim, não é uma tarefa fácil, e cabe ao investidor analisá-las e verificar se elas se encaixam dentro das suas estratégias de investimento.

De acordo com a revista Future Of Money, existem alguns fatores que poderão lhe ajudar a entender quais Altcoins podem ser relevantes em sua estratégia, mas para isso você precisa entender informações como: “a comunidade de usuários, a tecnologia utilizada, objetivo do Projeto, Popularidade e Qualificação do time de desenvolvedores” (Future Of Money).

E então, gostou de aprender mais um pouco sobre as Altcoins? Em nosso blog você encontra outros artigos, muito interessantes, sobre o universo cripto. Em nossas redes sociais você encontra uma variedade de informações e no Telegram você fica sabendo, em primeira mão, sobre nossas campanhas e promoções.

Junte-se a nós! Cadastre-se em nossa plataforma.

* “Capitalização de Mercado é uma forma de classificar o tamanho relativo de uma criptomoeda. É calculada multiplicando o Preço pelo Fornecimento Circulante.” (CoinMarketCap)