"É importante saber que dinheiro guardado no colchão não permite no futuro a compra das mesmas coisas que se compraria hoje devido ao aumento dos preços."
Fonte: vidaedinheiro.gov.br

Quantas vezes você já desejou que se deixasse seu dinheiro parado, ele se multiplicaria ao invés de se desvalorizar? Neste artigo, vamos observar algumas tentativas bem sucedidas de tornar esse desejo realidade com Bitcoin.

"Vender o almoço pra comprar a janta" é uma dessas expressões que se ouve em qualquer lugar do Brasil e reflete a dificuldade financeira da maioria da população. Aliás, é fundamental agirmos para melhorar esta realidade. No caderno de cidadania financeira, o Banco Central do Brasil ensina a importância de poupar e investir, pois, o valor do capital muda ao longo do tempo.

Espera-se que ações educativas como esta ajudem você a aprimorar seu planejamento financeiro. Ainda assim, segundo a ANBIMA, em 2019, dentre a população brasileira, apenas 42 milhões de pessoas possuem algum tipo de investimento, e o preferido por 84% dessas pessoas ainda é a caderneta de poupança.

Fonte: ANBIMA

Se o mínimo que você espera de um investimento é evitar a desvalorização do montante posicionado nele, quando a "Poupança perde para a inflação" é o resultado mais frequentemente encontrado em qualquer busca no Google, ano após ano, nota-se a falha dessa estratégia.

"Inflação é o aumento dos preços de bens e serviços. Ela implica diminuição do poder de compra da moeda. A inflação é medida pelos índices de preços. O Brasil tem vários índices de preços. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) é o índice utilizado no sistema de metas para a inflação."
Fonte: Banco Central do Brasil

Normalmente vemos apenas um dos índices nos jornais, o IPCA, que é usado para a meta do governo e é composto por uma cesta de itens que não necessariamente refletem o seu padrão de consumo. Provavelmente, é por isso que você sente um aumento maior que este índice nas contas do mercado, de restaurantes, ou de bens de consumo, desde roupas a carros.

Você pode contar com uma gama de opções de investimentos que variam de acordo com: o perfil de cada investidor, a expectativa de retorno, o prazo para resgate, o montante, a frequência, a liquidez, a tolerância ao risco, entre outros. Os principais exemplos são: renda fixa, tesouro nacional, letras de crédito imobiliário/agronegócio, ações, índices, crowdfunding, startups, imóveis, obras de arte, itens de coleção, direitos autorais, carros, ativos digitais.  

Entretanto, infelizmente, a maior parte dos gestores de investimentos é motivada por metas de vendas agressivas e não pelo potencial de ganho dos clientes. Isto é, vão lhe oferecer os piores produtos,  porque precisam bater metas. Portanto, é fundamental que você faça a sua própria pesquisa e busque por serviços confiáveis.

Nesse sentido, é importante saber sobre o poder da diversificação (Markowits, 1952): o risco será menor em um portfólio com mais ativos não correlacionados, ou seja, que se comportam de maneira diferente diante da mesma situação. Um ótimo exemplo disto é a valorização de ativos digitais como o Bitcoin em cenários de instabilidade política, quando as bolsas de valores costumam apresentar perdas, como mostra o gráfico abaixo contendo Bitcoin, Ouro, o índice americano S&P500, e os títulos (longo prazo) do tesouro nacional dos EUA:

Fonte: casebitcoin.com

Além de fazer sua pesquisa, é também muito importante identificar o seu perfil de investidor para decidir quais opções se encaixam neste perfil. Caso os ativos digitais sejam uma opção para você, a volatilidade mais alta deste segmento permite ganhos com a diferença entre os preços de compra e venda.

Na tabela abaixo, estão algumas operações feitas por uma pessoa que recebe o salário ao quinto dia de cada mês e compra R$ 500,00 em bitcoin com o intuito de vender no dia primeiro do mês seguinte para pagar suas últimas contas e evitar o uso do cheque especial.


Data de Compra

Preço de Compra de 1 BTC

Quantidade de BTC comprada

Data de Venda

Preço de Venda de 1 BTC

Total Recebido


Saldo


%

A

05/03/2020

R$ 42.911

0,01165202

01/04/2020

R$ 33.546

R$ 390,88

-R$ 109,12

21,82

B

05/06/2020

R$ 48.680

0,01027116

01/07/2020

R$ 50.040

R$ 513,97

R$ 13,97

2,79

C

05/08/2020

R$ 61.957

0,00807011

01/09/2020

R$ 64.928

R$ 523,98

R$ 23,98

4,80

D

05/11/2020

R$ 86.777

0,00576190

01/12/2020

R$ 98.622

R$ 568,25

R$ 68,25

13,65

Contudo, estas operações apenas fazem sentido quando o preço de venda é maior do que o preço de compra, ou seja, a operação na linha A não seria executada. Caso esperasse até o próximo mês (01/05/2020) para executar esta venda, este investidor receberia então R$554,76, com ganho de 10,95%, devido ao preço de venda de 1 BTC nesta data ser R$ 47.610.

No gráfico a seguir, você pode observar a tendência confirmada de crescimento do Bitcoin em 2020, onde a maioria dos dias proporcionou operações muito atraentes.

Fonte: casebitcoin.com

A expectativa para 2021 é ainda melhor! Esta tendência é baseada no amadurecimento do mercado, no quadro regulatório cada vez mais favorável, e em análises famosas como o Stock-to-flow ou o ciclo de quatro anos, que possibilitaram a execução da estratégia acima por grandes empresas e fundos como Paypal, Square, MicroStrategy, MassMutual, Fidelity e outros mais.

Claro que o futuro é incerto e cautela é sempre indicada ao tomar decisões financeiras, o objetivo deste artigo é lhe mostrar a importância de poupar e investir de forma diversificada em busca de um saldo final acima da inflação.