por Scott Howard

As Finanças Descentralizadas (DeFi) são alternativas de código aberto para todos os serviços financeiros que você usa hoje - poupança, empréstimos, transações, seguros e muito mais - acessíveis a qualquer pessoa no mundo com um smartphone e conexão à Internet. O DeFi permite transações financeiras que não dependem de intermediários, transações realizadas por meio de redes descentralizadas, como o ethereum em uma base ponto a ponto. Por exemplo, os tomadores de empréstimo enviam garantias para um contrato inteligente (smart contract) em um lado da aplicação descentralizada, os credores fornecem empréstimos do outro lado da aplicação descentralizada (Dapp), o contrato inteligente intermedia a correspondência entre eles e cria a taxa e a garantia colateral. O Smart Contract e o Dapp, não são controlados por nenhuma pessoa, empresa ou organização, eles são gerenciados pela comunidade em torno do protocolo descentralizado.


A maioria dos usuários interage com DeFi/cripto por meio de finanças centralizadas, CeFi. Blocktane, Coinbase, Binance, etc são CeFi, são empresas financeiras centralizadas, a maioria das ações que os usuários realizam nessas exchanges dependem dessas organizações que atuam como os usuários esperam e contratam. Os usuários confiam nessas plataformas CeFi para agir em seu nome para interagir com os protocolos descentralizados que mantêm as moedas. Os produtos CeFi fortes são a base para impulsionar a adoção do DeFi.

Interagir diretamente com o DeFi é um desafio até para usuários experientes de cripto. A experiência do usuário em transações ponto-a-ponto (peer-to-peer) continua a ser um desafio importante para a criação do ecossistema usando aplicativos DeFi como Exchanges Descentralizadas (DEX), Market Maker Automatizado (AMM), Empréstimos e Participação, esta é uma dificuldade para uma maior adoção. Exchanges de cripto (como Blocktane no Brasil, Bitbuy no Canadá, Kraken nos EUA) fornecem a confiança e a funcionalidade para a iniciação de usuários no DeFi. Esse tem sido o padrão para a integração de usuários que compram e negociam ativos descentralizados, como bitcoin e ether, e terá um papel na adoção massiva do DeFi.

O desafio é que os recursos necessários para desenvolver produtos de CeFi para DeFi ideais são escassos e estão em demanda. Um produto CeFi para DeFi ideal oferece o máximo de funcionalidade 'on-chain' (na cadeia). Isso dá ao usuário o máximo possível dos benefícios da descentralização. Tokens "envelopados" (wrapped) são a área principal de inovação, permitindo maiores oportunidades de CeFi para DeFi. O "envelope"(wrap) representa idealmente um contrato inteligente no blockchain que emite um token com recursos adicionais garantidos pelo contrato inteligente. Normalmente, o token "envelopado" representa um ativo original, como ETH. O ETH é colocado para trabalhar dentro de um aplicativo DeFi (Dapp), enquanto o ETH "envelopado" é enviado de volta ao usuário como um direito do ETH subjacente com benefícios adicionais não-nativos do ETH original. Geralmente, ETH "envelopado" (wETH) é um direito proporcional de um para um ETH:wETH mais os novos recursos acumulados do wETH que geralmente geram um rendimento de ativos digitais adicionais como ETH. Yield Farming e Liquidity Mining são as aplicações mais comuns de tokens "envelopados".

Neste post, destacamos o Yield Farming como a função DeFi mais direta para os usuários. A Yield Farming coloca o ativo subjacente (ETH) em um contrato inteligente para realizar um serviço como o Staking (depósito e participação) para ganhar um rendimento. A analogia da agricultura (farming) é usada, em parte, para demonstrar que o ativo é estacionário ao lado do contrato, ao contrário da mineração de liquidez (Liquidity Mining) que coloca os ativos em movimento, geralmente em um mercado como um DEX.

O Yield Farming, especialmente quando Stake, fornece uma excelente ponte de CeFi para DeFi. Os ativos participantes são claramente visíveis no Blockchain, pois são depositados em nodes que validam / executam a rede descentralizada, como deve ser o Contrato Inteligente de "envelopamento", fazendo assim um produto na cadeia cuja funcionalidade disponível para a exchange é torná-lo mais simples para o usuário "envelopar" e "desenvelopar" seus ativos.

Um usuário com ETH tem a oportunidade de trabalhar com uma exchange como a Blocktane para "envelopar" esse ETH para que seja depositado no contrato do validador ETH 2.0 e ganhar recompensas deste validador que estão atualmente gerando de 5 a 10% de rendimento anual de ETH no ETH, portanto, 1 ETH depositado nesta participação, deve ter produzido um adicional de 0,05 a 0,1 ETH depois de 12 meses, para garantir o protocolo ETH 2.0. A Blocktane fornece ao usuário o ETH "envelopado" como um token ERC-20 para representar em 1:1 o ETH depositado mais as recompensas proporcionais geradas menos as taxas de serviço. O ETH "envelopado" pode ser negociado na Blocktane por outros ativos ou retirado como qualquer outro ERC-20.