Autor: Hathi Studios

Investir em criptomoedas pode ser desafiador. A alta volatilidade desse mercado oferece fortes emoções, demandando um psicológico forte. Quem são as pessoas inovadoras que começaram a operar com moedas digitais? Neste texto, vamos tratar delas.

Os diferentes tipos de trader

Quando o assunto é investimento em ativos digitais, existem aqueles que compram e guardam para o longo prazo, acreditando em uma grande valorização. Falaremos deles mais adiante. Por enquanto, vamos falar dos compradores que operam em diferentes períodos de tempo: os traders.

Os traders vão ao próximo nível de emoção e, dentro de um mercado altamente volátil, decidem andar de bicicleta sem rodinha. Existem os traders que negociam ativos digitais com base nas variações diárias de preço, mas não são os únicos. Alguns atuam em variações de preço ocorridas em minutos, onde a precisão requerida é altíssima, parecendo que estão utilizando um bisturi. Por que não entendemos melhor cada um deles?

Traders que resolvem tudo no mesmo dia

Muitas ordens abertas no início do dia, todas elas fechadas em menos de 24 horas. Parece estressante? Essa é a vida do day trader. No mercado tradicional, um day trader fica por dentro das ineficiências de oferta e demanda, tentando lucrar nessa dinâmica. No mercado cripto, as coisas ficam ainda mais difíceis, pois são inúmeros fatores.

Mesmo com as diversas variáveis a serem consideráveis, o day trader é um investidor disciplinado e se volta, na maior parte, às análises técnicas. Embora possa ser uma atividade extremamente lucrativa, o day trade é cansativo e exige muita atenção. Além disso, os riscos dessa prática são bem elevados.

Dentro da categoria de day trader, tem ainda aquele que leva as coisas a um outro patamar. Eles não só resolvem tudo no mesmo dia, mas em questão de minutos. Esses traders são conhecidos como scalpers.

Todo dia, toda hora

O gráfico preferido do scalper é aquele com intervalo de minutos, no máximo cinco. A vida de um trader que faz scalping é, talvez, mais complicada que a vida do day trader. Por se aproveitar de variações ocorridas dentro de pequenos instantes, os lucros tendem a ser menores. Por isso, quando uma negociação não sai como esperado, não é difícil que o prejuízo apague todos os ganhos conquistados até ali.

Por isso, todo scalper é uma versão ainda mais focada do day trader. A quantidade de negociações bem-sucedidas deve ser muito maior do que aquelas que não vão bem. O preparo mental também é importante, já que um scalper pode fazer até centenas de operações em um único dia. Além do desgaste, há ainda a mentalidade de aposta que pode entrar em jogo. “Só preciso ganhar mais essa para compensar a negociação que deu errado” é um tipo de pensamento comum.

Embora tenha ficado claro, é importante ressaltar: day trade e scalping são atividades para investidores muito experientes. O trader que opera nessas modalidades pode já ter perdido muito capital buscando aprender como funciona o mercado. Se você não tem preparo para sofrer essas dores iniciais, bem como os constantes desgastes diários, é melhor buscar outra forma de entrar no mercado.

Falando em outra forma de entrar no mercado, existem os traders um pouco mais pacientes que os day traders. Eles buscam lucros em variações de preço que demoram alguns dias, ou até semanas, para ocorrer. Esses são swing traders.

Um pouco mais de paciência

Apesar de também se basearem em análises técnicas, assim como os day traders, os swing traders se diferenciam pelo período que escolhem para especular. Uma posição pode ficar aberta durante vários dias, chegando a várias semanas. Para melhorar a identificação de oportunidades, swing traders mesclam análises fundamentalistas à leitura dos gráficos.

Um exemplo de swing trade é usar o halving do Bitcoin para prever movimentações nos preços. Swing traders observam ciclos passados e analisam as movimentações feitas pelo Bitcoin em um período antes do halving. Após verificadas as condições do mercado, as posições são abertas.

No mercado cripto, swing trade é uma modalidade de investimento muito arriscada, já que as exchanges não fecham durante os fins de semana. A atenção no mercado é constantemente necessária. Outro fator importante a ser levado em consideração é o fato do mercado cripto ter, basicamente, menos de dez anos. Por isso, os eventos que afetam esse mercado ainda são incertos, fazendo com que as cotações mudem da noite para o dia.

As soluções para esses problemas são stop losses, que são mecanismos que executam a ordem automaticamente se um percentual de prejuízo é registrado. Porém, nem sempre eles são efetivos, liquidando a ordem com prejuízo em uma volatilidade momentânea. Pois é, negociar em períodos maiores não garante que tudo dará certo.

Não se identificou com nenhum desses perfis? Então é provável que você seja um holder. Ou melhor: HODLER. Apesar de não realizarem trades, a vida de um hodler não é mais tranquila por isso.

Os hodlers mãos de diamante

Holder é o termo em inglês para alguém que “segura”, literalmente, suas criptomoedas. Se você compra uma criptomoeda e guarda durante meses, até anos, então você é um hodler. Sim, é holder escrito errado, em ‘homenagem’ a um investidor eufórico com a queda do Bitcoin em 2013 que fez uma publicação cheia de erros de digitação no fórum BitcoinTalk no mesmo ano.

A vida do hodler não é muito mais fácil que a vida dos traders. Comprar Bitcoin próximo da máxima histórica e ver o preço derreter até 80% não é fácil. Se você é hodler, contudo, é normal que você acredite no longo prazo da criptomoeda. O Bitcoin é o exemplo mais ‘tranquilo’ de volatilidade. Existem muitas altcoins que, após um ciclo de alta, não voltaram no próximo. Pois é, nem sempre os hodlers têm finais felizes.

Como é possível ver, seja qual for o seu perfil de investimento, sempre haverão pontos negativos e positivos. O melhor é escolher aquele que se encaixa bem no seu perfil. Nada de se aventurar em outras modalidades sem estudar e perder todas as suas economias, hein!