As instituições estão comprando mais bitcoin por mês do que o que está sendo minerado, e simplesmente não há o suficiente para todos.


Quatro milhões. Isso é aproximadamente quantos bitcoins estão circulando livremente agora, mostram os dados do blockchain. O número tem ficado um pouco menor a cada mês que passa.

É a avaliação da Glassnode, uma empresa de análise que rastreia dados de blockchain. O padrão sugere que a oferta de bitcoins, para compra e venda, está cada vez menor, e pode levar a um aumento de preços, à medida que mais investidores institucionais adotam a maior criptomoeda como investimento.

A "mudança no estoque líquido'" do bitcoin - a quantidade pela qual o número de moedas em circulação mudou nos últimos 30 dias - foi negativa na maior parte do ano passado, de acordo com a Glassnode:

Historicamente, foi o período negativo mais longo já visto, isto potencialmente fornece mais suporte para a força do preço do bitcoin no longo prazo, apesar das correções de curto prazo, como o recuo de 21% da semana passada.

A partir desta segunda-feira, havia apenas cerca de 4 milhões de BTC em circulação constante e disponíveis para compra, negociação e venda, de acordo com a Glassnode. A variação líquida de 30 dias da oferta de BTC detida por entidades líquidas e altamente líquidas tem estado em território negativo desde abril passado, exceto por um curto período entre julho e agosto e outro breve novamente em dezembro.

“Isso nunca aconteceu antes por um período de tempo tão extenso, e pode levar a um grande aperto no fornecimento em breve”, escreveu Glassnode em 26 de fevereiro em seu boletim informativo semanal.

Maior reconhecimento do valor de longo prazo do bitcoin

O terceiro halving do Bitcoin, em maio passado, diminuiu o ritmo das recompensas de mineração de 12,5 BTC para 6,25 BTC a cada bloco de dados (aproximadamente a cada 10 minutos). Ao mesmo tempo, grandes empresas de Wall Street como Goldman Sachs, Citigroup e BlackRock agora estão interessados em criptomoedas, enquanto os gigantes do pagamento PayPal e Square's Cash App permitiram que seus usuários comprem e vendam ativos digitais.

Na segunda-feira, Daniel Loeb, CEO e fundador do fundo de hedge Third Point, escreveu em uma série de tweets que estava dando um "mergulho profundo em cripto".

Alessandro Andreotti, um corretor de OTC de bitcoin, disse à CoinDesk que “as instituições estão comprando mais bitcoin por mês do que o que está sendo minerado', e simplesmente não há o suficiente para todos”.

“Este é o maior fator que vem elevando o preço do bitcoin ultimamente”, acrescentou.

A dinâmica da oferta pode ser crucial para restaurar um cenário de alta para o mercado de bitcoin, depois que a correção de preço da semana passada abalou a confiança de alguns investidores de varejo. A liquidação levou o bitcoin para perto de US $43.000, uma queda de 26% em relação ao preço mais alto de todos os tempos, acima de US $58.000 em 21 de fevereiro.

Em comparação com a última grande correção de mercado do bitcoin, no início de janeiro, menos detentores de bitcoin de longo prazo pareciam estar reduzindo suas posições ou realizando lucros na semana passada, de acordo com a Glassnode. Isso pode ser visto no gráfico abaixo, onde a área avermelhada - indicando uma redução de posição por detentores de longo prazo - está se movendo para uma posição neutra.

Restrição de oferta para instituições

Dados de outra empresa de análise de blockchain, a CryptoQuant, mostram que mais de 12.000 BTC, no valor de cerca de US $600 milhões, foram retirados nesta terça-feira da exchange de criptomoedas Coinbase Pro - vista como uma provável retirada para a carteira fria (cold storage) de um ou mais investidores institucionais para retenção de longo prazo. Pode ser um sinal de que os investidores aproveitaram a queda do preço para acumular bitcoin a um preço com desconto.

Bolsas como a Coinbase Pro estão entre as poucas plataformas preferidas pelas instituições para comprar e vender bitcoin, de acordo com John Willock, CEO da exchange de ativos digitais Blocktane. Isso significa que o suprimento já finito de bitcoins é apenas mais escasso para esses grandes compradores.

“A Coinbase apenas tocará em moedas por meio de sua exchange, provedores de liquidez ou pela rede de parceiros que são trazidos para seu pool de liquidez por partes que são completamente capazes de comprovar a origem e legitimidade dos fundos”, disse Willock. “O bitcoin disponível nesta plataforma pode ser considerado 'limpo' e não ter sido o produto de um hack, roubo, ransomware ou mercados de darknet.”

Menos bitcoins estão sendo disponibilizados para as instituições “porque eles têm padrões mais elevados do que o mercado geral”, disse Willock. “Portanto, como resultado, esses tipos de instituições podem ser forçados a começar a demandar moedas nessas exchanges 'limpas', e isso aumenta o preço global.”

Fonte: https://www.coindesk.com/more-institutional-investors-jumping-into-bitcoin-leaves-less-to-go-around-data-show