Custódia ou Salvaguarda de ativos:
1: o ato ou processo de preservar em segurança
2: o estado de ser preservado em segurança
Definição legal de custódia: cuidado ou controle exercido por uma pessoa ou autoridade sobre algo: como supervisão e controle sobre a propriedade que geralmente inclui a responsabilidade por danos que possam ocorrer. (Dicionário, Merriam-Webster)

Quando se trata de custódia de criptomoedas, funciona um pouco diferente. Os custodiantes de ativos digitais não armazenam tecnicamente nenhum dos ativos porque todos os dados e transações existem em um livro público chamado blockchain. Em vez disso, o que eles guardam são as chaves privadas dos usuários – a parte importante de uma carteira de criptomoedas que concede acesso aos fundos nela contidos.” (Coindesk)

A expressão comum: “Não são suas chaves, não são suas moedas” sugere que os hodlers de cripto devem adotar a auto-custódia, em outros termos: manter seus ativos digitais sob seu controle total em carteiras de hardware, sendo os únicos em posse de suas chaves privadas, o que é um conselho sólido para fundos que não requerem liquidez (cold storage*), provavelmente estacionados no mesmo endereço por longos períodos de tempo e não são envolvidos em quaisquer atividades de negociação ou mesmo casos de utilidade dependendo do seu protocolo ou jogo.

*Cold storage ou carteira fria: é um método de maior segurança para manter o acesso a ativos digitais offline, se um segredo não puder ser alcançado por agentes mal intencionados, ele não poderá ser explorado ou roubado. Consequentemente, os ativos sob esse método de proteção são muito lentos para serem movidos, uma ação que requer conexão, autenticação e transação, além de criar uma exposição temporária ao risco.

**Hot storage ou carteira quente: conectada online, sob diferentes níveis de proteção, ideal para ativos líquidos, mais usual para partes menores de portfolios que precisam estar em movimento, portanto, riscos menores.

Quando se trata de liquidez (hot storage**), ter ativos depositados sob custódia de outra parte exige a devida preocupação sobre o quão confiável essa parte pode ser. A história nos mostra muitos casos de sucesso de melhores práticas e negócios de longa data, mas também nos mostra exemplos de hacks (tecnológicos e sociais), de chaves perdidas, insolvência e mais tipos de risco de contraparte.

As melhores práticas afirmam que os ativos de clientes devem ser sempre segregados dos recursos da empresa, sob múltiplas camadas de ciber-segurança e redundância para evitar a exposição aos riscos mencionados acima.

Embora a conveniência e a mobilidade estejam no lado oposto da segurança e da prudência, as exchanges de criptomoedas podem ser confiáveis ​​por serem transparentes sobre aspectos importantes de seus negócios, especialmente: como os ativos dos clientes são protegidos.

A Blocktane acredita nas melhores práticas desde o primeiro dia e usa o Balance.ca, um custodiante terceirizado que oferece segurança de nível militar, segregação total de ativos, política de recuperação, para carteiras frias e quentes. A custódia adequada, altamente segura e eficiente é uma medida preventiva. Além disso, como medida mitigadora, todos os ativos digitais sob custódia são cobertos por uma apólice de seguro abrangente.

O constante avanço tecnológico torna-se cada dia mais presente na vida de todos, trazendo regularmente rupturas de velhas formas e nos conduzindo a um cenário de maior autonomia individual. Entender e se familiarizar com conceitos como a Custódia ajudará nessa jornada pelo universo cripto e a tomar melhores decisões com mais autoconfiança.